Menu
Projetos e Obras
Busca
gaudi

Conteúdo Correspondentes Internacionais

Os mistérios da arquitetura de Gaudí em Barcelona

10/10/2017

Considerado um dos melhores arquitetos de todos os tempos, Antoni Gaudí chamava atenção pelos detalhes de suas obras inspiradas na natureza. Saiba mais na leitura a seguir!

Não tem como não pensar em Gaudí ao falar de Barcelona. Aliás, a cidade é mundialmente conhecida pela arquitetura que a rodeia, e o grande protagonista é justamente Antoni Gaudí.

O arquiteto nasceu em 1852 em Reus, um pueblo localizado na região da Catalunha, Espanha. Ele é famoso por ter seu próprio estilo dentro do movimento modernista, ser completamente detalhista e se inspirar muito na natureza.

Suas principais contribuições pela cidade são: a Sagrada Família, o Parque Guell, a Casa Batlló e a Casa Milà (ou La Pedrera). Todos os monumentos são cartões-postais de fácil acesso aos turistas e moradores. Portanto, parada obrigatória para quem está visitando a cidade!

Mas muita gente não conhece os pequenos segredos arquitetônicos que os rodeiam. Aqui você pode desvendar um pouquinho dos mistérios da obra maravilhosa de Gaudí. Vamos lá?

Templo Expiatório da Sagrada Família

sagrada_familia_gaudi

Vista das principais torres da Sagrada Família (Foto: reprodução site Sagrada Família)


Todos sabem que sua maior obra-prima, a Sagrada Família, ainda segue em construção. A obra começou em 1883 e ainda podemos ver andaimes, tapumes e homens trabalhando. Quando perguntam quando ela vai acabar, sempre dizem: “Daqui a 10 anos”.

Desde a minha primeira vez em Barcelona — ainda como turista — e até hoje morando aqui, escuto essa frase. A verdade é que ela é tão cheia de detalhes que pode ser que nunca acabe mesmo, pois sempre resta algo para aprimorar.

A ideia de Gaudí era esculpir a história da bíblia na igreja, por isso, ela tem 12 fachadas no total, cada uma corresponde a um dos apóstolos.

exterior_sagrada_familia_gaudi

História da Bíblia retratada na fachada (Foto: reprodução site Sagrada Família)

Os sinos são situados atrás das torres, assim o som se expande pelas grandes aberturas longitudinais e é direcionado ao chão por meio de peças inclinadas.

obras_sagrada_familia_gaudi

Obras ainda são vistas no exterior da Sagrada Família (Foto: reprodução site Sagrada Família)

Incrivelmente, sua planta foi projetada apenas com formas geométricas. Porém, sua decoração foi construída com elementos curvos, porque Gaudí queria que a obra remetesse totalmente à natureza, e dizia não haver linhas retas na natureza.

projeto_sagrada_familia_gaudi

A planta do projeto (Foto: reprodução site Sagrada Família)

Um grande mistério que nunca foi desvendado é a obsessão de Gaudí pelo número 33. Em uma das fachadas, você pode ver um quadrado com a combinação de 15 números.

numeros_sagrada_familia_gaudi

Quadrado com números que somam 33 em todas as posições (Foto: reprodução site Sagrada Família)

Somando esses números na vertical, horizontal ou diagonal, o resultado é sempre 33. Alguns dizem que o objetivo é remeter à idade na qual Jesus Cristo foi crucificado.

O 33 também pode ser encontrado na soma das escadas do seu projeto no Parque Guell. E falando nele…

Parque Guell

parque_guell_gaudi

A vista da cidade do alto do Parque Guell (Foto: reprodução site Barcelona Home Blog)

No projeto do Parque Guell, as colunas são inspiradas no movimento helicoidal da estrutura das árvores. E a soma dessas colunas se inclinando sobre a parede de pedras remete às ondas do mar.

colunas_parque_guell_gaudi

As colunas do Parque Guell (Foto: reprodução site Holiday Spain)

colunas_parque_guell_gaudi_barcelona

Dentro dessas colunas funciona um sistema de captação de água da chuva (Foto: reprodução site Holiday Spain)

Na parte principal do edifício, onde se encontram 86 colunas, há um sistema subterrâneo de captação de água da chuva, que escorre e termina na boca do lagarto de mosaico na escadaria principal.

colorido_parque_guell

Diversos mosaicos coloridos podem ser visto ao longo do Parque Guell (Foto: reprodução site Park Guell)

lagarto_mosaico_parque_guell

A água, captada pela chuva, sai na boca do lagarto de mosaico (Foto: reprodução site Park Guell)

Casa Batlló

fachada_casa_batllo

Fachada Casa Batlló (Foto: reprodução site Casa Batlló)

interior_casa_batllo

O interior da casa (Foto: reprodução site Casa Batlló)

Já a Casa Batlló tem esse nome porque Gaudí foi contratado para projetá-la para a família Batlló. Os detalhes da fachada, os materiais e seu interior tinham um objetivo principal: aproveitar o máximo de iluminação natural.

Os móveis e detalhes também foram projetados por Gaudí. Por exemplo, a maçaneta da porta e o corrimão, cujos formatos se encaixam exatamente na anatomia da mão.

escadaria_casa_batllo

O lado de dentro também foi projetado por Antoni Gaudí (Foto: reprodução site Casa Batlló)

maçaneta_casa_batllo

Detalhes da maçaneta com formato que encaixa na mão (Foto: reprodução site Casa Batlló)

A forma das colunas das fachadas lembra estruturas ósseas. Por isso, por algum tempo a obra era chamada de “casa dos ossos”.

detalhes_casa_batllo

A forma da fachada lembra estruturas ósseas (Foto: reprodução site Casa Batlló)

Outro detalhe que Gaudí adorava adicionar à decoração era a forma de “caracol”, presente em muitos de seus projetos, aludindo à beleza da proporção áurea.

caracol_casa_batllo

Alusão ao caracol (Foto: reprodução site Casa Batlló)

Casa Milà

la-pedrera-

Fachada da Casa Milà ou La Pedrera (Foto: site Freepik)

O projeto da Casa Milà também foi fortemente inspirado na natureza. O sótão do edifício, por exemplo, é composto por arcos que recordam os nervos das estruturas das folhas de palmeiras.

interior_casa_mila

Arcos do sótão (Foto: © Samuel Ludwig)

Alguns dos “rostos” esculpidos no rooftop do edifício servem de saída de ventilação desse grande sótão.

Dependendo de onde se olha, os arcos do rooftop da edificação enquadram a Sagrada Família de longe.

rooftop_casa_mila

No rooftop da Casa Milà, pequenas aberturas servem de saída de ventilação (Foto: reprodução site The Road Forks)

Gaudí observava incansavelmente o funcionamento e a configuração da natureza a fim de usá-la como referência de decoração ou até mesmo na estrutura de seus projetos. Foi um arquiteto muito à frente do seu tempo e deixou grandes marcas na capital catalã.

rooftop_casa_mila2

Da cobertura da Casa Milà se vê outra obra de Gaudí (Foto: reprodução site The Road Forks)

Logo depois de sua morte, foi reconhecido como um dos melhores arquitetos de todos os tempos e até hoje leva esse título.

E você, ficou com vontade de conhecer ou voltar para Barcelona e contemplar de perto esses detalhes arquitetônicos?

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *